Acidez Mental! Humor, mau humor e dicas para ganhar dinheiro na internet!!
Humor, mau humor e dicas para ganhar dinheiro na internet!
16 VERDADES SOBRE A TESTOSTERONA, (O HORMÔNIO DA VIRILIDADE) QUE TODO HOMEM PRECISA SABER
16 VERDADES SOBRE A TESTOSTERONA, (O HORMÔNIO DA VIRILIDADE) QUE TODO HOMEM PRECISA SABER

Se o seu sexo é masculino, não importa se você é hétero ou gay, você PRECISA ler isto!



Pesquisa revelou que, apesar da preocupação com o desempenho sexual, 51% dos brasileiros com mais de 35 anos nunca foi ao urologista e 62% já tomaram remédio para disfunção erétil sem prescrição médica. Os problemas podem ser mais graves do aparentam e nunca é cedo demais para começar a se cuidar.

Você vai dizer: “Mas é só chegar uma mulher para começar com assunto sério”. Sim. Sabe por quê? Homens não vão ao médico. Tente se lembrar da última vez que foi a um consultório fazer exames de rotina. Conseguiu? A verdade é que os homens não gostam de ir ao médico, acham que não precisam se cuidar e, quando o fazem, são acompanhados (empurrados) pela mãe (quando crianças), pela esposa ou pela filha (quando velhos).

Aproveitando que dia 15 de julho é Dia do Homem, a Bayer organizou uma coletiva de imprensa com médicos de diversas áreas da medicina para falar sobre a saúde e sexualidade do homem. O Testosterona esteve lá e voltou com uma lista de dicas, mitos, verdades e números assustadores que você, homem, devia saber sobre a sua saúde. Se achar que algumas dicas ou sintomas ainda não servem para você, passe a informação para o seu pai ou seu avô, ajude a cuidar de quem cuidou de você.

1 – Homens usam a falta de tempo como desculpa por não cuidarem da saúde
Para você ver como os homens são muito alheios à própria saúde, 51% dos entrevistados nunca consultou um urologista. A pesquisa foi feita pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) em parceria com a Bayer, com 3.200 homens com mais de 35 anos em 8 cidades brasileiras. Desses, 33% diz que é por falta de tempo. Isso acontece porque os homens colocam na frente preocupações como trabalho, “revisão do carro”, e deixam a saúde de lado.

2 – 62% já tomou remédio para disfunção erétil (o famoso Viagra) sem prescrição médica por medo de “falhar”
É um dos dados mais preocupantes da pesquisa, segundo os médicos. O remédio é comprado por indicação de amigos, farmácia e informações da internet. Mas os riscos da automedicação são bem altos. Pode acontecer de o homem não ter problema nenhum e, depois de começar a usar o remédio, passou a só ter ereção com ele. Além, é claro, da dependência. Com medo de falhar, ele toma o remédio porque imagina que, sem ele, não vai dar certo – e na maioria das vezes pode acontecer por mero efeito psicológico. Segundo o Dr. Contardo Calligaris, psicanalista e dramaturgo, isso acontece porque o homem vê a sexualidade como uma obrigação, que vem primeiro de dentro dele, depois da sociedade, e os remédios são uma expressão, um reflexo dessa pressão que ele sente.

3 – Impotência sexual pode estar ligada a obesidade e problemas cardiovasculares
Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia-SP, Dr. Roni de Carvalho Fernandes, a obesidade e o diabetes somados à hipertensão e ao sedentarismo podem desencadear doenças cardiovasculares, entre outros problemas de saúde, afetando a vida sexual dos homens.

Para a psicanalista e escritora Regina Navarro, a ansiedade também está diretamente ligada à impotência sexual: “Pode ser a ansiedade, a ideia de que não pode falhar, precisa ser o melhor. Ou então acaba sendo egoísta, goza muito rápido e a mulher ainda sai com cistite”, brinca Regina.

4 – “Andropausa” é a menopausa dos homens, só que menos dramática
Agora vamos lá, 57% dos entrevistados nunca ouviu falar em “andropausa”. Explicando: o termo é usado para fazer uma relação com a menopausa, mas os médicos garantem que ela não é uma experiência dramática como a que acontece nas mulheres.

É o hipogonadismo, um processo natural do organismo masculino em que acontece a queda na produção de testosterona e, em muitos casos, ocasiona na temida impotência sexual. A boa notícia é que tem tratamento! (Tá no item 8)

5 – 71% não sabe quais são os sintomas da “andropausa”
Então, para você saber, os principais sintomas são: redução da libido; depressão; redução da massa muscular e distúrbio do sono. É importante lembrar que todos esses sintomas devem estar relacionados à redução dos níveis de testosterona para ter certeza de que é a “andropausa”.

Se você tem mais de 35 anos e se identificou com esses sintomas, procure um médico (qualquer um!) e explique para ele. Ele vai pedir exames para diagnosticar e, se for preciso, iniciar um tratamento de reposição hormonal.

6 – 87% (e aposto que você também) não sabe para que serve reposição hormonal
Os sintomas, como falamos, atingem diretamente a autoestima do homem e também seu relacionamento. E, com esse número, é sabido que a maioria não sabe que pode resolver isso com reposição hormonal. A Dra. Elaine Frade Costa, endocrinologista, alerta: “O nível de testosterona não pode estar nem muito abaixo da média, nem muito acima.

Deve começar com a indicação de um médico, depois de diagnosticado o problema, e acompanhado por ele, sempre”. Normalizando o nível de testosterona, todos esses problemas e sintomas são resolvidos e a vida volta ao normal, com autoestima recuperada, melhora no relacionamento e no dia a dia.

7 – Urologista não é o “ginecologista dos homens”, nem só o “médico do exame de toque”
Talvez esse seja o principal “medo” dos homens em relação ao urologista. Mas engana-se quem pensa que ele é o “ginecologista do homem” e só o “médico do exame de toque”. O urologista cuida do trato urinário dos homens e das mulheres, rins, ureteres, bexiga urinária, uretra e (aí sim) órgãos do sistema reprodutor masculino (testículos, epidídimos, ducto deferente, vesículas seminais, próstata e pênis). E, para ficar sabendo, o exame de toque é indicado para homens acima dos 45 anos, então, relaxa que ainda tem tempo.

8 – Procurar um médico não significa perder a virilidade
A psicanalista e escritora Regina Navarro Lins apontou que, culturalmente, os homens tendem a relacionar isso (procurar um médico) a um símbolo de fraqueza e perda da virilidade, da “macheza”. E também de que há a ideia de que as mulheres são mais frágeis e então são elas que precisam de cuidados. Os médicos concordaram que a sociedade vem dando uma atenção maior à saúde do homem, inclusive reprodutiva, no que se refere, principalmente, à prevenção.

9 – É preciso pensar mais em saúde e menos em doença
Tirar essa imagem de que os médicos são para quando você já está com sintomas e dores. Como diz o ditado: “É melhor prevenir do que remediar”. Ter uma vida saudável e um acompanhamento médico são hábitos essenciais para evitar complicações sérias na velhice (e até antes dela).

10 – Os homens vêm apresentando baixa no nível de testosterona cada vez mais cedo
E, segundo a endocrinologista, Dra. Elaine Frade Costa, por diversos fatores externos, como estresse, vida sedentária, hábitos, etc. Por isso não dá para esperar os cabelos brancos aparecerem para começar a pensar na própria saúde.

11 – Reposição hormonal não causa câncer de próstata
“Se acontecer de aparecer um tumor depois de começar um tratamento de reposição hormonal, é porque você já tinha predisposição genética”, garante o Dr. Carlos Sacomani, Diretor de Comunicação da Sociedade Brasileira de Urologia.

12 – Retirada da próstata não causa disfunção erétil
O Dr. Roni de Carvalho Fernandes, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia-SP afirma que não é uma regra: “A cirurgia de retirada da próstata pode alterar a ereção, isso em 20 ou 30% dos casos, mais por uma questão de autoestima pós cirurgia. Mas tem um fato a ser levado em conta. Quanto mais velho o paciente, maior a chance de ter disfunção erétil depois da retirada total da próstata por um câncer, por exemplo”.

13 - A redução do nível de testosterona interfere nas decisões do dia a dia

“Ousadia, coragem, tomadas de decisão de risco, tudo isso tem a ver com o nível de testosterona e reflete no seu dia a dia, no trabalho. Quanto mais baixo o nível, menos decisões arriscadas você toma, menos ousado você fica, e aí vem a depressão, um dos principais sintomas”, explica o cardiologista Dr. Maurício Wajngarten.

14 – Diminuição da libido é diferente de diminuição de ereção
A disfunção erétil tem menos a ver com hormônio e mais a ver com problemas psicológicos, problemas de irrigação vascular, por exemplo, entre outros fatores – que também merecem atenção!

15 – Anabolizantes e doses excessivas de testosterona causam danos a longo prazo
A Dra. Elaine explicou que a dose fisiológica usada no tratamento da reposição hormonal é muito maior do que a dose usada nos anabolizantes. Por isso, tentar resolver por conta própria não é, nem de longe, uma boa ideia. Além disso, jovens que tomam essa quantidade excessiva podem ter sérias complicações a longo prazo, como doenças no fígado, no coração e até infertilidade.

16 – Você pode falar sobre sexualidade com qualquer médico
Sim, qualquer médico. Por mais que ele não seja o especialista na área, ele vai saber orientar você para resolver, seja o que for. Confie sempre nos médicos, eles sabem o que fazer.

Bônus: Não é possível aumentar o pênis

“Existem cirurgias que retiram um ligamento que sustenta o pênis para ganhar mais ou menos 2 centímetros, mas sem esse ligamento ele não tem sustentação, então vai ficar ‘com a cabeça baixa’”, brinca o Dr. Roni de Carvalho Fernandes, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia-SP.

Ele também alerta que injeções que são comuns em propagandas na internet não são recomendadas pelas complicações que podem causar: “É melhor um pequeno funcionando do que um maiorzinho que não consegue desempenhar suas funções”.

O Dr. Roni também faz um alerta aos pais, contando que o chamado micropênis (no adulto, menor que 4cm em flacidez ou menor que 7,5cm em ereção) é uma doença e deve ser diagnosticada na infância para propor correções cirúrgicas.

01/07/2017

Fonte: http://www.testosterona.blog.br

Se você chegou até aqui é porque você gostou do que leu, não é? Então curta e compartilhe o Acidez Mental no Facebook com seus amigos e familiares. É só clicar nos botões abaixo.

VEJA TAMBÉM:

Ganhe dinheiro trabalhando em casa respondendo pesquisas na internet

Adulto: Somente para maiores de 18 anos!

Sexo gostoso e sem compromisso. Onde e como conseguir?

Clique AQUI e siga o Acidez mental no Twitter

NÃO QUER COMENTAR NO FACEBOOK? AQUI A SUA CHANCE!